PREFÁCIO A LENDA DO COROMANDEL

A obsessão de Gabrielle Chanel por um amor inspirou sua eterna paixão por um objeto: os biombos de Coromandel. Gravados em laca chinesa, cenários da flora e da fauna e paisagens longínquas ganham vida, inspirando uma coleção de alta joalheria na qual flores desabrocham em diamantes e nuvens de madrepérola ficam suspensas no ar.

(0) La légende Coromandel

CAP. 1 Ocidente e Oriente

(1) L’Orient rencontre l’Occident

“A PRIMEIRA VEZ QUE VI UM BIOMBO DE COROMANDEL GRITEI: “QUE LINDO!” NUNCA HAVIA DITO ISSO SOBRE UM OBJETO.”

Gabrielle Chanel

SUBIR A ICÔNICA ESCADARIA DO NÚMERO 31 DA RUE CAMBON É UM ATO DE GRANDE RESPONSABILIDADE

No alto das escadas, atrás de uma pesada porta espelhada, encontra-se o apartamento particular de Gabrielle Chanel.

Ali, nos deparamos com o tão fotografado sofá, com prateleiras intermináveis de livros com capa de couro e biombos e mais biombos de Coromandel. O primeiro biombo desta série foi um presente de Boy Capel, o grande amor da vida de Coco Chanel. Após a morte de Boy, Gabrielle passou o resto de seus dias cercada por esses biombos. Com Boy.

Ilustração

Gabrielle Chanel, fotografada em 1937, com um de seus amados biombos de Coromandel. Fotografia de Lipnitzki e Roger-Viollet. © Chanel / Lipnitzki / Roger-Viollet

AQUI, NOS LEMBRAMOS DE UMA MULHER QUE VIVEU INTENSAMENTE ―
CRIANDO, COLECIONANDO, DESAFIANDO, AMANDO ― E QUE MORREU COMO UM MITO.

Ilustração

Entrada do apartamento particular de Gabrielle Chanel na Rue Cambon, 31, onde os biombos foram desmontados e usados como papel de parede. © Robert Doisneau / Rapho

Na entrada do apartamento, o espaço é tomado quase que inteiramente por biombos de Coromandel. Os biombos foram desmontados, usados como papel de parede e combinados com influências e objetos franceses, criando um estilo próprio da Chanel. Com um efeito vertiginoso e labiríntico, espelhos revestem outras superfícies e refletem o Coromandel por todas as partes. Eles podem ser admirados assim de diferentes ângulos.

Os biombos de Coromandel se tornaram uma extensão das criações femininas de Gabrielle Chanel, vistos aqui no cenário de um desfile de moda em 1958. © Boris Lipnitzki e Roger-Viollet

Ilustração
Ilustração

Para a Coleção de Alta Costura Primavera/Verão 1958, Gabrielle Chanel apresentou um terno com forro lamê inspirado nos biombos de Coromandel. © CHANEL Foto de Max-Yves Brandily

Ilustração

Fotografada na suíte de Gabrielle Chanel no Ritz, em Paris. Esta fotografia, originalmente publicada na Harper's Bazaar em 1937, foi utilizada no primeiro anúncio publicitário do perfume CHANEL N°5. Fotografia de François Kollar © Ministère de la Culture - Médiathèque du Patrimoine, Dist. RMN, França

O Coromandel torna-se tão onipresente quanto Gabrielle e é incorporado às suas criações femininas, assim como tudo que ela amava. Em sua coleção de alta costura de 1958, o forro de um paletó é estampado com Coromandel, como um segredo perto da pele. Os biombos também aparecem no cenário dos desfiles, nas fotos promocionais e nas campanhas publicitárias.

Ilustração

Em 2012, a primeira coleção de relógios “Mademoiselle Privé” homenageou os biombos de Coromandel do apartamento na Rue Cambon, 31. © CHANEL

O Coromandel inspirou a alta costura de Karl Lagerfeld, uma fragrância inebriante e ambarada de Jacques Polge e, mais recentemente, esta coleção de joalheria do Estúdio de Criação. Cada interpretação aprofunda ainda mais a relação entre estes míticos biombos e a história da Casa.

Ilustração

Inspirado nos biombos de Coromandel, Karl Lagerfeld criou três casacos bordados para a Coleção de Alta Costura Outono/Inverno 1996. © CHANEL

Em 1917, a famosa pianista e socialite Misia Sert descreveu um jantar no apartamento de Chanel:“Ali, no meio de incontáveis biombos de Coromandel, encontramos Boy Capel.” De forma inexplicável e tão mágica quanto os próprios biombos, ele estaria eternamente ali.

CAP. 2 Fauna

(2) Faune

“ADORO OS BIOMBOS CHINESES DESDE OS DEZOITO ANOS... QUASE DESMAIEI DE ALEGRIA QUANDO VI UM COROMANDEL PELA PRIMEIRA VEZ, AO ENTRAR EM UMA LOJA CHINESA.BIOMBOS FORAM A PRIMEIRA COISA QUE COMPREI.”

Gabrielle Chanel
A FLORA E A FAUNA são frequentemente representadas nos biombos de Coromandel. Este pássaro singular, em seu gracioso movimento, foi uma fonte de inspiração fundamental.

Mademoiselle Chanel era conhecida por cortar, alfinetar, costurar, descosturar, realfinetar, recosturar e assim por diante, até obter o efeito desejado. Este processo não era fruto apenas de seu impulso implacável pela perfeição, mas a própria personificação do processo criativo.

OBJETOS DE QUALIDADE EXIGEM IDEIAS, PACIÊNCIA, ENERGIA, ARTE...

Características inerentes às tradicionais técnicas usadas pela Casa na criação da alta joalheria, um processo totalmente manual, do começo ao fim, que impregna estas peças com uma energia incontestável.

A IDEIA SE TORNA UM DESENHO, que começa com o esboço de uma silhueta e vai adquirindo detalhes e traços mais precisos, para enfim determinar se é digna de uma peça de alta joalheria.

Para a criação desta coleção de alta joalheria, os biombos de Coromandel, com suas narrativas intermináveis e inspiradoras, foram divididos em uma série de motivos, cada um deles representando uma dimensão da natureza: flora, fauna e mineral.

O PASSO SEGUINTE FOI A CONCRETIZAÇÃO DA IDEIA: O ESBOÇO

Um pássaro específico do salão do apartamento é flagrado em um momento inesperado de voo, exalando uma sensação de movimento, alegria, brincadeira, capturada pelo artesão.

ANTES DE CRAVEJAR O PÁSSARO COM PEDRAS, o corpo em ouro fundido é dividido em partes. Um molde de cada parte é criado e usado durante a montagem, garantindo proporções perfeitas e precisão.

RECRIADO EM DIAMANTES BRANCOS E AMARELOS, O PÁSSARO ATINGE UM PATAMAR GLORIOSO.

Nos códigos tradicionais do Coromandel, pássaros representam o Imperador e a Imperatriz. Podemos imaginar que este pássaro majestoso em pleno voo simboliza o espírito de Gabrielle Chanel reinando sobre seu império.

AS PEÇAS DE ALTA JOALHERIA SÃO CRIADAS de acordo com a expertise tradicional, exclusivamente manual, que produz obras com uma energia potente e palpável.

PRÉCIEUX ENVOL ― CUJA TRADUÇÃO SIGNIFICA Voo Precioso ― é uma coleção que inclui brincos, um colar e um anel, cada peça representando um pássaro de diamantes brancos e amarelos em pleno voo.

CAP. 3 Flora

(3) Flore
NO APARTAMENTO DE GABRIELLE CHANEL, os olhos percorrem livremente os biombos de Coromandel, e uma narrativa emerge através dos detalhes de cada painel.

ENQUANTO A FIGURA E A INFLUÊNCIA DE GABRIELLE CHANEL ERAM NOTORIAMENTE ELUSIVAS E IMPONENTES, SEU APARTAMENTO NA RUE CAMBON, 31 ERA INTIMISTA E SURPREENDENTEMENTE CONVIDATIVO, MENOS VOLTADO A OSTENTAÇÕES, E MAIS O REFLEXO DE UMA VIDA INTENSA.

Apesar do tamanho peculiar do apartamento, não é possível visualizar os biombos de Coromandel como um todo, com suas extensas narrativas horizontais. Ao contrário, os olhos recaem sobre cada detalhe e percorrem livremente a superfície da laca, as linhas de um elegante caule espinhoso, uma camélia branca de extrema beleza, descobrindo a história revelada em cada painel do biombo.

UM DESENHO É ESBOÇADO NO PAPEL VEGETAL. As aquarelas dão vida ao desenho, acrescentando realismo e detalhes. Aqui, decide-se finalmente se a peça de alta joalheria será materializada e criada.

Na coleção de alta joalheria, estes detalhes são traduzidos em pedras: pétalas de safira rosa acompanham folhas de turmalina verde, aninhadas em biombos de diamantes brancos. É inevitável parar e contemplar, viajar pelas profundezas da granada tsavorita Menta, antes de vagar deleitosamente por uma cascata de contas esculpidas à mão a partir de uma turmalina verde, que revela todo o esplendor do colar.

Outro colar da coleção é intitulado Evocation Florale, uma criação em diamantes que evoca os biombos de Coromandel. Com cenas florais representando a vida na tradição do Coromandel, e “evocation” significando o ato de invocar espíritos ou memórias do passado, é inevitável recordar-se de uma outra época.

— MADEMOISELLE CHANEL ENTRE SEUS BIOMBOS DE COROMANDEL, UM ESPÍRITO SEMPRE PRESENTE QUE INSPIRA A TODOS NÓS.

UM DIAMANTE AMARELO FANCY DE 3,52 QUILATES com a cor mais viva e a mais pura clareza é destinado a um bracelete reversível, no qual a pedra gira de acordo com o desejo do proprietário.

OS BIOMBOS DE COROMANDEL possuem uma profusão de detalhes delimitada por uma moldura. Um tema incorporado pela coleção de alta joalheria neles inspirada.

GRANADA TSAVORITA MENTA DE 30,55 CT COM LAPIDAÇÃO ALMOFADA realçando um colar longo de contas de turmalina verde. Decoração floral em safira rosa, turmalina verde e diamante branco, inspirada em biombos de Coromandel.

CAP. 4 Mineral

(4) Minéral

“QUANDO OLHO ESTE BIOMBO À NOITE, VEJO PORTAS SE ABRINDO E CAVALEIROS SAINDO PARA CAVALGAR.”

Gabrielle Chanel

Influenciada por Luís XIV, a França encantou-se pelos produtos asiáticos. O século XVIII emergiu como a era da Chinoiserie, e a cultura francesa evocou versões românticas destes objetos míticos de lugares distantes. Os biombos de Coromandel ― criação chinesa que transitava pela Costa de Coromandel na Índia ― eram muito requisitados.

GABRIELLE CHANEL CONHECEU OS BIOMBOS ATRAVÉS DE SEU AMOR, BOY CAPEL, E ELES SE TORNARAM UMA FONTE ETERNA DE INSPIRAÇÃO.

UMA CENA MÍSTICA no Lago Oeste em Hangzhou, na China, de um biombo de Coromandel do apartamento de Gabrielle Chanel, inspirou esta peça de alta joalheria.

A PINTURA A GUACHE da peça de alta joalheria é criada não apenas para demonstrar técnica, mas para replicar a luz e a cor das pedras, além da emoção evocada pela peça.

PÁSSAROS SOBREVOAM, PAISAGENS REVELAM HISTÓRIAS ANTIGAS E CAMÉLIAS BRANCAS FLORESCEM: O CONJUNTO É GRAVADO EM LACA CHINESA NA SUPERFÍCIE DO COROMANDEL.

A narrativa horizontal dos biombos é interrompida apenas pelos painéis verticais. Cada cena é cheia de detalhes envoltos em uma moldura, um friso presente em todos os biombos de Coromandel, e tema cuidadosamente incorporado à coleção de alta joalheria neles inspirada.

Uma tensão emerge destes elementos dicotômicos ― restrição versus liberdade ― criando uma estória dentro de uma moldura. Esta influência aparece na coleção de alta joalheria, e tanto os biombos quanto as peças incorporam um paradoxo, conceito tão apreciado por Mademoiselle Chanel.

COM 37,51 QUILATES, a turmalina azul-esverdeada com lapidação esmeralda foi cuidadosamente examinada antes de ser colocada em um anel com decoração mineral.

O APARTAMENTO NA RUE CAMBON ERA O LUGAR ÍNTIMO ONDE GABRIELLE PODIA SONHAR.

Apesar de desconhecer a cultura de origem destes objetos adorados, por nunca ter pisado na Ásia, ela certamente viajava em sua imaginação, no sofá do seu apartamento, em meio a sua coleção de biombos de Coromandel.

INSPIRADA NOS BIOMBOS DE COROMANDEL, a coleção de alta joalheria é repleta de luminosidade, e não se limita a uma tradução literal de suas superfícies escuras e sombrias.

COLAR INSPIRADO NA PAISAGEM DE UM COROMANDEL, com uma nuvem em madrepérola, estrato mineral em diamantes e ouro e árvores mágicas em diamantes brancos realçando um primoroso diamante incolor de 6,52 quilates com lapidação oval.

Gire o seu dispositivo