CHANEL NEWS

culture-chanel--br---at-guangzhou-opera-house

CULTURE CHANEL
NA GUANGZHOU OPERA HOUSE

Organizada em parceria com o Museu de Arte de Guangdong, esta nova Exposição foi mais uma vez confiada a Jean-Louis Froment, curador das duas mostras anteriores Culture Chanel. Esse evento será realizado no Guangzhou Opera House, projetado pela arquiteta Zaha Hadid, de 16 janeiro a 03 março de 2013.

Com base nas ligações de longa data entre Chanel e as artes, essa Exposição centra-se no palco de Pablo Picasso, projetado e criado por ele para o balé ''Le Train Bleu" de 1924. Esta grande obra, conservada no Museu Victoria & Albert, em Londres, foi excepcionalmente emprestada pelo museu para esta ocasião." Le Train Bleu", um balé produzido por Serge Diaghilev, deve o seu nome ao trem que ligava Paris com a Côte d'Azur. Ele selecionou Darius Milhaud como compositor, Jean Cocteau como dramaturgo, Henri Laurens como cenógrafo, Pablo Picasso para o cenário e pano de fundo, e Mademoiselle Chanel como figurinista.

O mundo criativo e intimista de Gabrielle Chanel é traçado como filigrana quando visto através dos vários artistas que contribuíram para a criação de " Le Train Bleu". Ela manteve um diálogo permanente com eles e sua amizade deu impulso à sua produção criativa extraordinária. Esta liberdade de pensamento, combinada ao desejo de libertar o corpo através do movimento expresso na virada do século 20 (seja no esporte ou na dança), são dois aspectos fundamentais do estilo Chanel.
A partir de uma leitura perceptiva e uma desconstrução dos diferentes elementos do cenário, a exposição se desenvolve em torno de cinco temas derivados dos pontos de vista: Respirar, mover, amar, sonhar e inventar.

Estes temas, que sustentam o universo e os valores criativos da Chanel, são evocados por meio de 400 obras, entre fotografias, desenhos, pinturas, manuscritos, livros, filmes e criações de moda (de Mademoiselle Chanel a Karl Lagerfeld), bem como de relojoaria, joias e perfumes finos.
Entre as peças expostas, os visitantes vão descobrir pela primeira vez cerca de trinta desenhos inéditos feitos por Pablo Picasso de uma coleção privada, juntamente com desenhos de Amedeo Modigliani, que são retratos dos principais protagonistas envolvidos na criação de Le Train Bleu.
Concebidos para serem uma "exposição em 5 atos com 1 pintura", esses cinco temas levam os visitantes para obra-prima da mostra - a criação de Picasso.

www.culture-chanel.com

Foto Jean Moral © Brigitte Moral

POR TRÁS DAS COSTURAS

Primavera-Verão 2013 coleção Haute Couture

Trilha Sonora:
Charles Münch, Orchestre de Paris "Daphnis & Chloe Suite No. 2: I. Lever du jour" (Maurice Ravel)

january-15--2013-culture-chanel-at-the-guangzhou-opera-house

CULTURE CHANEL
NO GUANGZHOU OPERA HOUSE

O último capítulo do "Culture Chanel" é baseado em um empréstimo excepcional do Museu Victoria and Albert, em Londres, cenário espetacular de Picasso intitulado Le Train Bleu (1924). Após duas exposições com o mesmo nome (uma realizada no Museu Nacional da China, em Pequim, e outra no Museu de Arte Contemporânea de Xangai), Chanel realiza uma parceria com o Museu de Arte de Guangdong para sediar uma Exposição no Guangzhou Opera House, um prestigiado edifício projetado pela arquiteta Zaha Hadid. "Projetado para recontar vários capítulos de uma mesma história, a "Culture Chanel" procura revelar a jornada singular de Gabrielle Chanel, com a Chanel", explicou Jean-Louis Froment, que foi contratado para a curadoria destas exposições.

Para este capítulo, o balé de Sergei Diaghilev serve como pano de fundo para a Exposição, um balé em homenagem a Le Train Bleu (O Trem Azul), um trem de luxo que, durante a noite, iniciou sua operação em dezembro de 1922 e levou os passageiros a partir de Paris para a Riviera Francesa. Ele simboliza o desejo de lazer e viagens que prevalecia na época. Diaghilev considerava Le Train Bleu mais do que uma opereta para dançar balé. Ele foi apresentado pela primeira vez em Paris em junho de 1924, com a música de Darius Milhaud, um libretto escrito por Jean Cocteau, cenário desenhado por Henri Laurens e um pano de fundo de palco e programa criado por Pablo Picasso. Gabrielle Chanel, que estava no comando do figurino, criando roupas esportivas de jersey para este balé avant-garde que ecoou sua visão de moda na época. Os protagonistas deste projeto foram colaboradores fiéis da Gabrielle Chanel até o final de sua vida. "Estes são os artistas que levaram Gabrielle Chanel a considerar seu trabalho como arte, o que a ajudou na transição do conceito de moda para estilo", ressalta Jean-Louis Froment. Este processo intelectual inspirou Gabrielle Chanel a criar uma linguagem que era ao mesmo tempo moderna e atemporal, que é ilustrada de forma brilhante através das vitrines cheias de seus próprios designs e das criações de Karl Lagerfeld.

A Exposição decifra o estilo Chanel, concentrando-se em cinco grandes temas: respirar, movimentar, amar, sonhar e inventar, que culminam com o cenário do palco de Picasso. O mundo de Chanel ganha vida com 400 obras em exposição em um ambiente translúcido e elegante. Esses incluem arte (com cerca de 30 desenhos feitos por Picasso), fotografias, livros da biblioteca pessoal de Gabrielle Chanel, filmes, peças de Haute Couture, feitas tanto por Gabrielle Chanel como por Karl Lagerfeld, joias, relógios e perfumes.

Françoise-Claire Prodhon

www.culture-chanel.com

Guangzhou Opera House
No 1, Zhujiang Xi Lu, Zhujiang New Town, Tianhe District,
510623 Guangzhou, China
Horário de funcionamento: das 10h às 19h, de segunda a domingo
Entrada gratuita
De 16 de janeiro a 03 de março de 2013

Pintura © Sucessão Picasso 2013, Victoria and Albert Museum, em Londres

Compartilhar

O link foi copiado