CHANEL NEWS

℗ Tricatel

SOUNDTRACK POR MICHEL GAUBERT

Músico francês Chassol faz performance ao vivo no desfile Paris in Rome 2015/16 Métiers d'Art.

credits
credits

© Anne Combaz

the-art-of-embroidery

© Anne Combaz

A ARTE DO BORDADO

O fino bordado é o artesanato tradicional de criação de detalhes com ou sem relevo, usando uma variedade de materiais, desde algodão e lantejoulas a cabochões, plumas, cristais e pingentes, em tecidos que variam de leveza, como organza e chiffon a couro resistente e tweed.

Ornamentar uma peça de roupa começa com um desenho que é replicado sobre um molde de papel, em seguida, transferido para o tecido usando uma mistura especial (de resina e giz). Os materiais bordados estão ligados um a um, utilizando uma agulha comum ou agulha de crochê. Demora, em média, cerca de 20 horas para formar um molde, que será, então, apresentada em um quadro.

Uma técnica importante de bordado é a "Lunéville", que leva o nome de uma cidade francesa. A técnica é de 1867, quando foi inventada para simplificar e acelerar o bordado. Ela envolve o uso de uma agulha de crochê que encadeia pequenos enfeites, tais como pequenas miçangas, lantejoulas, finalizadas na parte inferior do tecido. A bordadeira trabalha de olhos fechados, guiadas apenas pela sua experiência e seus habilidosos dedos.

Uma graciosa inovação neste ano foi dos laços de couro "farfalle" bordados com miçangas, especialmente feitos pela Maison Lesage para o desfile Paris in Rome 2015/16 Métiers d'Art.

Cinecittà Studios - Rome

PARIS IN ROME 2015/16 MÉTIERS D'ART
O FILME

Jeanne Moreau © Keystone France <BR />Romy Schneider © Courtesy of Paul Ronald, Archivio Storico del Cinema, AFE <BR />Delphine Seyrig © Keystone France <BR />Anouk Aimée and Federico Fellini © Photo D.R
00/4
the-actresses-dressed-by-gabrielle-chanel

Jeanne Moreau © Keystone France
Romy Schneider © Courtesy of Paul Ronald, Archivio Storico del Cinema, AFE
Delphine Seyrig © Keystone France
Anouk Aimée and Federico Fellini © Photo D.R

AS ATRIZES VESTIDAS
POR GABRIELLE CHANEL

Gabrielle Chanel estava sempre perto de atrizes. Isso porque ela dominava o design de figurinos, ou porque ela mesma tinha tido sonhos em sua juventude de uma carreira nos palcos? Uma das primeiras atrizes a modelar os chapéus da Chanel em público foi Gabrielle Dorziat.

Vinte anos depois, Gabrielle era famosa nos Estados Unidos e também por seus figurinos de filmes. Em 1931, a estrela do cinema mudo, Gloria Swanson, apareceu em "Tonight or Never" usando um vestido longo Chanel. Em 1955, Marilyn Monroe fascinou o mundo quando confessou usar apenas Chanel Nº5 para dormir.

"O mundo inteiro de cinema quer vestir Chanel," disse a revista "Elle" em novembro de 1958. Na verdade, muitas clientes da Chanel eram atrizes. Cineastas, incluindo os diretores New Wave pediram a Chanel para vestir suas atrizes principais, entre elas as "femmes fatales" interpretadas por Jeanne Moreau em "The Lovers" de Louis Malle em 1958 e por Delphine Seyrig em "Last Year at Marienbad" em 1961.

Gabrielle Chanel também desenhou roupas usadas na tela e na vida real por Annie Girardot e Brigitte Bardot. Ela era amiga de Anouk Aimée, conversou sobre literatura com Jeanne Moreau, tornou-se mentora e admirada de Romy Schneider, induziu a arte do charme em alguns, ensinou a arte de se vestir para outros.

Compartilhar

O link foi copiado