CHANEL NEWS

chanel-x-pedder-on-scotts-opening

CHANEL X PEDDER ON SCOTTS
ABERTURA

Pela primeira vez em Cingapura, Chanel inagurou uma loja temporária dentro do espaço da Pedder on Scotts. Foram criados displays especiais e acessórios inspirados em viagem para o cenário da coleção de Ready-to-Wear primavera-verão 2016.

Respeitanto o tema do desfile, o de um terminal de aeroporto, os displays são apresentados como uma correia transportadora, carregando as novas bagagens e artigos de couro da coleção e cabines são tripuladas por manequins vestidos com como comissários de bordo e aeromoças.

24 de março a 3 de abril, 2016

chanelxpedderonscotts.com

credits
credits

François Kollar na escadaria de Chanel, 1937 / vista da exposição, Alice Sidoli © Jeu de Paume, 2016

francois-kollar-exhibition-in-paris

François Kollar na escadaria de Chanel, 1937 / vista da exposição, Alice Sidoli © Jeu de Paume, 2016

FRANÇOIS KOLLAR
EXPOSIÇÃO EM PARIS

A exposição "A Working Eye", primeira retrospectiva do trabalho completo de Kollar na França, apresenta um panorama de sua arte com mais de 130 fotos tiradas na Europa e África de 1930 a 1960. O fotógrafo de origem húngara foi um dos grandes mestres de reportagem industrial da França do século XX.

François Kollar começou com fotografia publicitária, passou muitos anos trabalhando com revistas como a "Harper Bazaar", onde publicou mais de duzentos ensaios de moda e retratos antes de 1946. Fotografou modelos, fez anúncios para as principais casas e importantes figuras do mundo da moda, incluindo Gabrielle Chanel, que o levou a experimentar uma variedade de técnicas modernas e experimentar composições altamente originais, brincando com luzes de fundo, dupla exposição, sobreposição e solarização, ou reflexos em espelho, como exemplo disto, uma modelo na escadaria da rue Cambon.

A exposição segue a carreira do fotógrafo em ordem cronológica, começando com os trabalhos experimentais e indo para a seu trabalho de publicidade e moda. Sua reportagem fotográfica sobre a evolução do mundo do trabalho na década de 1930 está no centro da retrospectiva, que fecha com a sua série industrial da África Ocidental Francesa e da França nos anos 1950 e 1960.

Jeu de Paume
1, Place de la Concorde, 75008 Paris
9 de fevereiro a 22 de maio, 2016

credits
credits

© Julien Mignot

silver-tweed

© Julien Mignot

TWEED PRATEADO

Esse tweed exclusivo da coleção primavera-verão 2016 foi inspirado no mundo de viagens e vôos.

Ele exige um trabalho minucioso excepcional: em média, 200 metros de tweed clássico são tecidos por dia, em comparação com apenas 7 metros deste.

credits
credits

*Citação de Mademoiselle Chanel do livro "The Allure of Chanel" de Paul Morand (Pushkin Press, 2013 p.52)

jersey

*Citação de Mademoiselle Chanel do livro "The Allure of Chanel" de Paul Morand (Pushkin Press, 2013 p.52)

JERSEY

"Jersey é o tecido mais difícil de trabalhar, é um tecido simples; Senhor, eu sei disso! Eu comecei com ele"* declarou Gabrielle Chanel.

Já em 1913, ela escolheu trabalhar com jersey, um "modesto" tecido de malha que até então tem sido usado principalmente para roupas íntimas masculinas e camisetas de marinheiros. O jersey logo se tornou fundamental para seu sucesso. Apenas três anos depois de seus primeiros designs, um jornalista americano comentou "Chanel é mestre de sua arte, e sua arte é o jersey."

Este tecido de malha geralmente era muito suave para cortes aderentes, mas Mademoiselle gostava: era confortável e leve, perfeito para seus modelos fáceis de usar, cuja nova abordagem à silhueta feminina, tornou-se um sucesso.

Compartilhar

O link foi copiado