CHANEL NEWS

KARL LAGERFELD FALA SOBRE O DESFILE

Entrevista por Natasha Fraser-Cavassoni depois do desfile Métiers d'Art Paris-Salzburg 2014/15.

the-chanel-jacket-by-francoise-claire-prodhon
the-chanel-jacket-by-francoise-claire-prodhon

A JAQUETA CHANEL
POR FRANÇOISE-CLAIRE PRODHON

A história da jaqueta Chanel começou com a invenção do tailleur no início da década de 1950. Esta peça de roupa moderna, confortável, combinando elementos masculinos e femininos, foi a resposta de Gabrielle Chanel ao estilo da década de 1950, o qual ela considerava muito restrito e não adaptável para a vida das mulheres.

"Um tailleur Chanel é feito para uma mulher que se move", disse Gabrielle Chanel, acrescentando: "Eu realmente me preocupo com as mulheres e queria vestí-las com roupas que a fazem sentir-se se sintam à vontade, roupas que elas possam usar para dirigir um carro, mas que ainda enfatizem a feminilidade". Foi um sucesso imediato, e o tailleur junto com sua jaqueta se tornaram itens essenciais nos guardas-roupas das mulheres, o sinônimo de liberdade e elegância casual.
A jaqueta, usada com uma saia wrap-around, é única, inspirada nas tradicionais jaquetas masculinas austríacas. Esta jaqueta em tweed, um dos tecidos da assinatura de Mademoiselle Chanel, foi inventado como uma segunda pele: reta, estruturada, com fecho de borda a borda e sem ombreiras ou entretela rígida.

Para conciliar flexibilidade e caimento, a frente da jaqueta é cortada no tecido, sem traços no busto. A parte de trás é cortada da mesma maneira, simplesmente separada por uma costura no centro. Painéis laterais e verticais aderem à frente e à atrás. A manga, cortada no tecido, encontra o corpete na parte superior do ombro. É ligeiramente inclinada com traços no cotovelo para seguir a forma do braço para dar a facilidade de movimento e conforto. Para garantir a perfeita liberdade de movimento, Mademoiselle Chanel tirava as medidas dos seus clientes, com os braços cruzados e mãos apoiadas sobre ombros. O forro de seda da jaqueta é cortado com os mesmos critérios para garantir conforto.
A corrente delicadamente costurada na parte de baixo da jaqueta garante que ela tenha um caimento impecável. O aspecto gráfico é enfatizado pelo adorno (trança de gorgorão, malha, etc.) que define o contorno da jaqueta, as bordas dos bolsos e os punhos. Os bolsos são colocados para tornar fácil o ato de deslizar as mãos. O revestimento é feito com botões de bijoux - estampado com cabeça de leão (o signo astrológico de Mademoiselle Chanel era Leão), trigo, camélia ou o logotipo duplo C .

Reinventada a cada estação, a jaqueta tornou-se um dos elementos icônicos Chanel. "De verdade, a jaqueta Chanel é inspirada na jaqueta masculina tradicional austríaca. Coco Chanel inventou um tipo de roupa que não existia nesta forma exata e isso é uma conquista que ninguém pode tirar dela. É um dos símbolos que definem o estilo Chanel". Como Karl Lagerfeld disse: "No mundo da moda, algumas coisas nunca saem de moda: calça jeans, uma camisa branca e uma jaqueta Chanel".

 

Françoise Claire Prodhon

Foto por Benoit Peverelli

1. SCIENCE & INDUSTRYAndy Stott
00:31
  • 1. SCIENCE & INDUSTRY00:31
    Andy Stott
  • 2. MR MOUSTAFA00:31
    Alexandre Desplat
  • 3. CONCERTO FOR LUTE AND PLUCKED STRINGS I. MODERATO00:29
    Siegfried Behrend
  • 4. SNOWBIRD00:35
    Clark
  • 5. DAYLIGHT EXPRESS TO LUTZ00:31
    Alexandre Desplat

PLAYLIST DO DESFILE POR MICHEL GAUBERT

Media 1
Media 2
Media 3
Media 4
Media 5

00/5

the-show-decor

DECORAÇÃO DO DESFILE

2 de dezembro, Schloss Leopoldskron, Salzburg.

Fotos por Olivier Saillant

Media 1
Media 2
Media 3
Media 4
Media 5
Media 6
Media 7
Media 8
Media 9
Media 10
Media 11
Media 12
Media 13
Media 14
Media 15
Media 16
Media 17
Media 18
Media 19
Media 20
Media 21
Media 22
Media 23

00/23

making-of-the-press-kit

MAKING OF DO PRESS KIT

Coleção Métiers d'Art Paris-Salzburg 2014/15

Fotos por Olivier Saillant

"REINCARNATION" POR KARL LAGERFELD
MAKING OF DO FILME

Por trás das cenas do novo curta-metragem de Karl Lagerfeld feita para acompanhar o desfile Métiers d'Art 2014/15.
Para assistir o filme "Reencarnação", visite chanel.com

chanel-and-austria-by-francoise-claire-prodhon
chanel-and-austria-by-francoise-claire-prodhon

CHANEL E AUSTRIA
POR FRANÇOISE-CLAIRE PRODHON

A paisagem montanhosa, atmosfera e charme da Áustria cativou Gabrielle Chanel. Ela amava a natureza, esportes e atividades ao ar livre tanto como eventos culturais e da alta sociedade: Áustria ofereceu tudo. Em uma carta a Jean Cocteau em 16 de julho de 1922, ela escreveu: "Tzara está em Tirol - parece estar se sentindo melhor e feliz - talvez eu vá lá também". Como muitos artistas da época, Tristan Tzara estava lá com Max Ernst e Paul Eluard, outros membros do movimento Dada.
Desde meados do século XIX, Salzburgo e Tirol haviam se tornado os destinos mais desejáveis. Esta popularidade foi confirmada em 1920, quando o diretor Max Reinhardt, o compositor Richard Strauss e autor Hugo von Hofmannsthal criaram o Festival de Salzburgo, um festival de ópera anual de verão que atraia um público culto e elegante.

No início da década de 1930, Gabrielle Chanel gostava de visitar a famosa estação de esqui de Saint Moritz e foi lá que ela conheceu Baron Hubert von Pantz, um aristocrata austríaco arrojado. Elegante e cortês, ele tinha todas as características para encantar Gabrielle Chanel, com quem ela teve um caso de dois anos. Nesses primeiros anos da década de 1930, ele comprou Schloss Mittersill, um castelo que ele transformou em um hotel de luxo de prestígio.

Schloss Mittersill foi um sucesso instantâneo e, em 1936, a edição americana da revista Vogue referiu-se a ele como "o mais comentado lugar da Áustria". Com seus altos padrões e modos requintados, Hubert von Pantz atraiu os membros da elite, incluindo o duque de Gramont e a Marquesa de Polignac; mas também artistas como Marlene Dietrich, Douglas Fairbanks e Cole Porter, todos atraídos pelo ambiente requintado do hotel e seu caráter tradicional. Ele oferecia muitas atividades, desde golfe à caminhadas nas geleiras, como também compras, uma oportunidade para esses pretenciosos clientes comprarem roupas Loden tradicionais. Foi em Mittersill que Gabrielle Chanel notou as jaquetas impecáveis usadas pelos operadores do elevador do hotel ... A roupa que ela se lembraria no início de 1950, quando ela criou a jaqueta icônica Chanel, usada em 1961 por sua amiga austríaca, a atriz Romy Schneider ...

Françoise-Claire Prodhon

A atriz Romy Schneider durante uma prova de roupa com Gabrielle Chanel em 1961
Foto Giancarlo Botti ©BOTTI/STILLS/GAMMA

Compartilhar

O link foi copiado