credits
credits

© Anne Combaz

the-show-by-boris-coridian

© Anne Combaz

RITO DA PRIMAVERA DE KARL LAGERFELD

Por Boris Coridian

Um raio de sol atravessa o céu de Paris em um nublado 26 de janeiro e ilumina a cúpula do Grand Palais. Como um lembrete da primavera no meio do inverno, ele sinaliza o início do desfile da coleção de Alta Costura primavera-verão 2016 de Karl Lagerfeld. Em um cenário alegremente campestre, uma casa de madeira com persianas fechadas combina com o paisagismo. A porta se abre e surgem os primeiros looks. Uma a uma, parecendo desacelerar o ritmo para aproveitar melhor o momento, as modelos passeiam por esse Éden.

Para celebrar este rito da primavera – uma menção à obra de Stravinsky, amado por Gabrielle Chanel - materiais aéreos misturam-se com bordados de madeira. Cores suaves, escolhidas em uma paleta bege, são acompanhadas por ornamentos de ouro. As variações no volume e nas formas invertidas trazem à mente as excentricidades da natureza - como as jaquetas de mangas-ovais curtas cujas curvas generosas contrastam com a delicadeza das saias lápis. Cada look é acompanhado por uma mini bolsa para celular.
De forma sutil, pode-se afirmar que esta coleção doce e atemporal é também extremamente moderna. As modelos andam pela passarela de madeira colocada sobre o gramado em sapatos com o salto de cortiça. A silhueta delicada e poética desenhada por Karl Lagerfeld é finalizada por um toque imperial e delineada por uma reminiscência de deusas antigas.

Abelhas aparecem no tule e na musseline, assim como nas joias. As abelhas parecem estar fazendo um buzz em torno dos vestidos longos e nas flores estampadas. "Eu sou uma abelha, que faz parte do meu signo, o Leão, o Sol. Mulheres deste signo são trabalhadoras, corajosas, fiéis, destemidas. Esse é o meu personagem. Eu sou uma abelha nascida sob o signo do Leão", nas palavras de Coco, rainha da rue Cambon. A noiva aparece com um vestido em que os materiais naturais estão em completa harmonia e o capuz desperta a curiosidade do público.

Coreografado por Karl Lagerfeld, para o final do desfile, as persianas de madeira são abertas lentamente mostrando todas as modelos. A música para, o aplauso aumenta e gritos de alegria ecoam dos bastidores. Raios de sol invadem o cenário, trazendo brilho para o azul do céu e o verde do gramado onde modelos caminhavam. O cheiro de grama recém-cortada enche o Grand Palais.

Compartilhar

O link foi copiado