credits
credits

© Courtesy of Paul Ronald, Archivio Storico del Cinema, AFE

visconti-and-chanel

© Courtesy of Paul Ronald, Archivio Storico del Cinema, AFE

CHANEL & OS ARTISTAS
VISCONTI

Em 1936, com 30 anos, Luchino Visconti chegou a Paris, um centro artístico, intelectual e político durante o período pré-guerra. Quando ele conheceu Gabrielle Chanel, ele ficou espantado por sua mistura de "beleza feminina, inteligência masculina e energia excepcional." Ele a convidou para ir à Itália e a apresentou a sua família. Gabrielle Chanel foi fundamental em conseguir deixá-lo assistir a uma filmagem de Jean Renoir. O diretor fez melhor do que isso: contratou Luchino como assistente que o ajudou a escolher os vestuários para dois de seus grandes filmes, "The Lower Depths" e "A Day in the Country", para os quais Chanel também contribuiu. Esta experiência causou uma profunda impressão em Luchino, fazendo-o seguir carreira no cinema.

Depois de produzir obras-primas como "La Terra Trema", "Senso", e "Rocco and His Brothers", Luchino encontrou novamente Gabrielle Chanel em 1962. Ele pediu a ela para desenhar os trajes para "Boccaccio'70", e ensinar sua elegância a atriz principal, Romy Schneider.
A câmera segue Romy quando ela aparece vestida sucessivamente em uma brocade, um robe de chambre (roupão feminino,traje despretensioso), e um terno creme. Ela se move graciosamente, com uma gravata como um cinto em seu vestido. Na frente do espelho, ela ajusta o colar de pérolas e seu cabelo. A transformação aconteceu. Romy se transformou em uma "femme fatale", uma mistura de charme e elegância.

Chanel e Visconti permaneceram amigos ao longo da vida.

Compartilhar

O link foi copiado