20th-century-masterpiece

Friday, April 24, 2015

OBRA PRIMA DO SÉCULO 20

Em 1923, Charles e Marie-Laure de Noailles contrataram Robert Mallet-Stevens para construir - nas alturas com vista para Hyères - "uma casa muito prática e simples", onde tudo, de acordo com Charles de Noailles, "segue o mesmo princípio: a funcionalidade". Mondrian, Laurens, Lipchitz, Brancusi e Giacometti seriam responsáveis pelas obras de arte, Jourdain pelos móveis, e Guévrékian pelo jardim cubista. Além das formas claras, estruturadas e com contrastes definidos, esta moderna construção avant-garde também refletia o racionalismo do momento. Com contínuas extensões, até 1993 o local se transformou em um edifício de 1800m2, ostentando 15 quartos, piscina e uma quadra de squash, era um espaço dedicado a uma nova abordagem de estilo de vida, onde o corpo e natureza, em harmonia com o espírito, eram unidos como um só.

Neste lugar dos sonhos, com paredes brancas, protegido por uma vegetação exuberante, com vista sobre o Mediterrâneo e as Ilhas de Ouro, Noailles recebeu Dali, Gide, Breton, Artaud, Poulenc, Lifar, Huxley, e a maioria dos grandes artistas que nasciam naqueles tempos. Em 1970, após o falecimento de Marie-Laure, a vila é, atualmente, um centro de arte e residência de artistas, e neste ano, celebra o 30º aniversário do Festival Internacional de Moda e Fotografia.

O aniversário oferece a oportunidade perfeita para revisitar os lugares imortalizados por Karl Lagerfeld em 1995, em uma série de fotografias preto e branco. "Atemporalmente moderno", "vulnerável como o instante presente", a Villa Noailles aparece vazia, alterada pela passagem do tempo e ainda cheia de encontros e criações artísticas de quase um século. A imagem congela a beleza da decoração, enobrecendo os traços de tempo e, movendo-se para além de uma realidade que às vezes pode ser limitante, despertando a imaginação.


Sophie Brauner

Fotos por Karl Lagerfeld

Compartilhar

O link foi copiado