spring-summer-2013-ready-to-wear--br---by-elisabeth-quin

PRIMAVERA-VERÃO 2013, READY-TO-WEAR
POR ELISABETH QUIN

A Chanel mostrou ao mundo mais do que apenas a sua visão de moda: a coleção Primavera-Verão 2013, apresentada no Grand Palais, na terça-feira de manhã, foi em meio a um campo de turbinas eólicas e poderia ter sido facilmente uma declaração ecológica!

Com looks naturais e leves como a brisa, como a juventude desenfreada,como a mobilidade, o luxo discreto, a empatia para com os outros e a inventividade, o desfile trouxe uma maneira divertida de passar uma mensagem para o outono de 2012: os ventos da mudança estão soprando com energias alternativas e novas modas frescas!

Estaria a Chanel prestes a se juntar ao ensaísta americano Jeremy Rifkin, o terceiro teórico da revolução industrial, que defende uma economia com baixa emissão de carbono?

As modelos desfilaram pela passarela com looks inundados com cores frescas: um terninho roxo com uma jaqueta de manga três quartos com acabamento em esmeralda, um terno azul Klein e vestido de saco, um vestido de cetim rosa e lilás e conjunto de calça, um casaco folgado vermelho de meio-comprimento de couro macio, um microvestido sem alças cor de areia em couro de carneiro lavado, e uma série impressionante de vestidos de noite em marrom acetinado com efeitos acolchoados que destacavam a transparência e fluidez.

A versão multicolorida do tweed, que é a marca registrada da casa (um "tour de force" têxtil), foi uma apoteose de cores, que estavam absolutamente deslumbrantes em um conjunto com um top com manga leg-o-mutton e um vestido bolha em fúcsia. Foi simplesmente explosivo com uma versão ultra-colorida usada para um luxuoso e impressionante conjunto de bermuda e jaqueta com mangas puff, assim como um vestido folgado curto com mangas três-quartos bordadas com paetês em bronze na altura da metade da coxa ("uma cor estranha de bronze dourado", como Homero descreve a ilha de Stromboli, no Reino de Aeolus, na Odisséia). Disposto em uma paleta infinita de cores do verão, este tweed se mostrou poderoso em seu impacto visual.

Finalmente, o branco chegou na passarela com golas de Peter Pan (o favorito de Gabrielle Chanel), golas de Pierrot e um arco flexível na frente de um vestido de gola careca, bem como um vestido polo branco de tweed e popeline, para um look Suzanne Lenglen-em-Eden Roc atualizado. O branco também foi visto na série da noite com looks de verão incrivelmente frescos e refinados: vestidos brancos sem alças (dois curtos e três longos), em malha ou piquet, enfeitados com flores de plástico Rhodoid ou pérolas.

A silhueta para o verão 2013 é longa e justa (no uso incrível da malha preta para um conjunto da Chanel de calças elegantes, gráficas e sensuais), e que é quase andrógina, um atributo clássico da mulher Chanel. Cinturas são justas, perfeitas para vestidos sem alças (o destaque desta coleção), mini-boleros e micro jaquetas. Pernas longas criam simetria, apresentadas nos micro shorts e minissaias, enquanto vestidos bolha destacam os tornozelos.

Os acessórios da coleção são uma mistura perfeita do estilo atemporal da Chanel e modernidade: grandes pulseiras de pérolas e colares aglomerados num "efeito caviar" e grandes chapéus de sol com abas de plástico colorido transparente.
Karl Lagerfeld claramente desenhou e criou uma silhueta para uma mulher mais jovem, com maior impetuosidade e sensualidade que será perfeitamente carregada por "uma ventania favorável, uma nova West Wind" (Homer) para o verão.

Compartilhar

O link foi copiado