Loading...
  • DIAMANTE

    A pureza, a raridade e o esplendor excepcional do diamante fazem dele a pedra mais preciosa do mundo e o símbolo absoluto do amor eterno. Seu nome vem do grego "Adamas", que significa indomável, em referência à sua pureza extrema.

    O diamante pode ter várias cores, desde do diamante dito “incolor”, que é o mais apreciado, até ao diamante de cor franca, como o amarelo, o azul, o cor de rosa, o champanhe, o negro, o verde...
    A qualidade de um diamante depende da combinação perfeita de 4 critérios que se conjugam infinitamente para fazer de cada pedra uma gema única.

  • DIAMANTE NEGRO

    O diamante negro é um dos diamantes coloridos que mais fascina. Ao contrário do diamante incolor ou de outros diamantes coloridos, o diamante negro é opaco.

    As particularidades físicas do diamante negro exigem uma enorme precisão durante a sua lapidação, para valorizar ao máximo a uniformidade de sua cor bem como seu esplendor excepcional.

    Associado ao diamante branco, o diamante negro ousa os contrastes e revela a personalidade de uma pedra única.

  • SAFIRA

    A palavra “Sappir”, significando “a coisa mais bela” em Hebreu, ilustra o fascínio expresso por essa pedra preciosa de mil coloridos.

    Como o rubi, ela pertence à família dos coríndons.

    Porém, ao contrário dessa última, que é vermelha, a safira tem una gama infinita de cores: safira rosa, amarela, roxa, verde, cor de laranja, rosa alaranjado (Padparadscha), incolor… A cor da safira é designada pelo adjetivo que segue a sua denominação. A palavra safira utilizada sozinha designa a variedade de cor azul dessa gema.

    A safira de cor azul se apresenta em um sortido muito rico que vai do azul muito claro ao azul noite ou do turquesa ao azul arroxeado, conforme sua origem.

  • ESMERALDA

    O nome desta pedra vem do grego "smaragdos" (pedra verde), que se tornou mais tarde esmeralda. É de longe a pedra mais valiosa da família dos berilos. Na joalheria, as lapidações mais usadas para esta pedra são as do tipo "esmeralda" (um corte angulado ou com os cantos cortados), "cabochão", "pera" ou "oval".

    As inclusões específicas da esmeralda são chamadas pelos profissionais de "gelo" e um conjunto de gelos forma o "jardim de uma esmeralda". Não são defeitos, pois as inclusões podem inclusive demonstrar a origem da pedra. Seu mais importante produtor mundial é a Colômbia.

  • RUBI

    O rubi deve seu nome à sua cor, da palavra latina ""rubeus"", que significa vermelho. Ele é, inclusive, o único coríndon vermelho.

    Com o passar dos tempos, outras pedras que eram confundidas com o rubi foram corretamente identificadas (espinélio vermelho, rubelita, piropo granada).
    Há 15 séculos, o vale de Mogok, em Myanmar (ex-Birmânia) é a fonte dos rubis mais preciosos: apenas alguns possuem a famosa nuance ""sangue de pombo"", a mais procurada.

    Pedra essencialmente aluvial, os depósitos primários de rubis são extremamente raros, o que torna a sua busca ainda mais complexa.

    Símbolo de força e de coragem, o rubi cuja cor se ilumina à noite é um símbolo de amor e de paixão.

  • ÁGATA

    Pertencente à família do quartzo microcristalino, a ágata é uma pedra que constitui uma variedade de calcedônia. Seu nome vem do latim, Achates, e se refere ao rio da Sicília que produzia gemas em abundância durante a antiguidade.

    A ágata pode adotar uma multidão de cores e de texturas: marmoreada, riscada ou mesclada, se apresentando em vermelho, verde, amarelo, azul, preto arroxeado, violeta, marrom, branco manchado, marrom claro e opaca.

  • ÔNIX

    Cupido, ao cortar com a ponta de uma seta, as unhas da divina Vênus adormecida, criou uma pedra de um negro profundo denominada Ônix.

    Pertencente à família do quartzo microcristalino, o ônix é uma variedade negra de calcedônia cuja textura, muito fina, e o brilho de um esplendor raro, proporcionam associações extremamente criativas.

  • AMETISTA

    Gema do grupo do quartzo, a ametista deve sua cor intensa a ínfimas quantidades de ferro impregnadas no mineral. Sua cor roxa pode ter várias tonalidades: roxo púrpura, roxo escuro, roxo lilás...

  • QUARTZO ROSA

    Pertencente à imensa família de quartzos microcristalinos, o quartzo rosa adota um tom delicado de rosa polvilhado. De intensidade indo do transparente ao opaco, sua cor pastel é perfeitamente realçada pelas variedades translúcidas que acentuam sua doçura.

  • QUARTZO RÚTILO

    Cristal de rocha transparente, o quartzo rútilo tem a particularidade de estar salpicado de filamentos dourados evocando os cabelos de Vênus. Esta gema única deve seus motivos singulares a inclusões de cristais de rútilo.

    De raridade ainda maior, o quartzo turmalina contém pontas de cristais de turmalina negra, a que esta pedra mágica deve seu nome de quartzo setas de amor.

  • CALCEDÔNIA AZUL

    A gema deve seu nome a uma cidade de passagem durante a Antiguidade, situada no Bósforo. A calcedônia se caracteriza por sua translucidez velada, seu aspeto leitoso e sua sutil tonalidade azulada. A lapidação em cabuchão, sua curvatura, valoriza perfeitamente a doçura de sua cor.

  • OPALA ROSA

    A opala rosa deve seu nome à palavra sânscrita upala que significa "pedra preciosa". Opaca e leitosa, a opala rosa se distingue pela doçura e a delicadeza de sua cor. Muito feminina, sua cor se combina perfeitamente com a curvatura da lapidação em cabuchão.

  • TURMALINA

    A turmalina deve seu nome ao termo cingalês turamali, que significa “pedra de múltiplas cores”. As cores que pode apresentar são, efetivamente, inumeráveis: rosa, vermelho, amarelo, marrom, verde, azul, roxo, preto, incolor ou multicolor. As turmalinas monocrômicas são as mais raras e as mais cobiçadas.

  • ÁGUA-MARINHA

    Pedra cor do mar segundo seu nome latino que significa “água do mar”, a água-marinha se caracteriza pela sua cor sutil azul esverdeada. Variedade de berilo, tão rara como deslumbrante, a água-marinha é umas das pedras finas mais cobiçadas.

  • RUBELITA

    A rubelita é uma variedade vermelha da turmalina. Geralmente, possui uma ponta de roxo que lhe confere sua intensidade e sua força. A cor rubi é a mais apreciada.

  • GRANADA

    A granada representa uma família de minerais, composta de uma grande variedade de gemas, fornecendo uma vasta paleta de cores caracterizadas pela sua vivacidade.

    Cada granada é designada por um nome fazendo alusão a sua cor e que pode se estender do encarnado acastanhado ao verde esmeralda, com variações laranja escuro, marrom avermelhado, vermelho tijolo, vermelho rosado com nuances de roxo ou até verde vivo.

    O termo granada designa também as variedades de vermelho a rosa desta pedra que se aparenta à cor intensa da romã.

  • CITRINO

    Gema da família do quartzo, o citrino deve o seu nome à palavra "citron" (limão), em alusão a sua cor amarelo vivo. Os tons calorosos dessa pedra transparente se estendem do amarelo claro ao marrom dourado.

  • PERIDOTO

    O peridoto, também denominado crisólita, proveniente do termo grego significando “pedra de ouro”, possui um brilho característico. Sua cor pode ir do verde amarelado ao verde acastanhado passando pelo verde azeitona. Muito apreciado na Antiguidade, foi a pedra mais apreciada na época barroca.

  • IOLITA

    Ainda denominada cordierita em honra ao geólogo francês Pierre-Louis Cordier, a iolita deve seu nome ao grego íon significando “violeta” (flor). Esse mineral pode, efetivamente, tomar vários tons de azul violeta.

  • PÉROLA DE CULTURA DOS MARES MERIDIONAIS

    Entre a costa nórdica da Austrália e a costa meridional da China são cultivadas as pérolas mais belas e maiores do mundo.

    As pérolas dos mares meridionais se caracterizam por possuírem um nácar excepcionalmente espesso, bem como um lustro acetinado único, procedente do ambiente favorável em que são cultivadas.

    Os tons brancos, prateados e dourados que elas ostentam são sutis, raros e característicos de sua origem prestigiosa.

  • PÉROLA DE CULTURA DO JAPÃO (AKOYA)

    Nascidas no Japão, as pérolas Akoya são cultivadas nesse país de maneira tradicional desde há quase um século.

    Proveniente das ostras perlíferas, as menores do mundo, as pérolas Akoya tem um diâmetro inferior ao das Pérolas dos mares meridionais. As suas formas, perfeitamente esféricas, bem como o lustro luminoso, valorizam a doçura de suas cores.

    Brancas ou creme, as pérolas Akoya se singularizam pelos reflexos amarelo, rosa ou verde que produzem.

  • PÉROLA DE CULTURA DE ÁGUA DOCE

    Proveniente do mexilhão-perlífero-do-rio, cultivados nos rios e ribeirões da China, as pérolas de água doce apresentam uma infinita variedade de formas, de tamanhos e de aspectos.

    Uma vasta paleta de cores, do branco ao rosa, do creme ao laranja, bem como suas formas imprevisíveis distinguem-nas das pérolas Akoya.

    Integralmente constituídas de nácar, as pérolas de água doce possuem uma textura quente e suave.

  • PÉROLA DE CULTURA DO TAITI

    Conhecidas sob o nome lendário de “pérolas negras”, as pérolas de Taiti nascem nas ilhas dos mares meridionais, em particular nas lagoas da Polinésia francesa.

    São formadas por camadas perlíferas espessas, cercando o cerne e se caracterizam por sua variedade de formas, de diâmetros, de qualidades e de nuances naturais. A espessura dessa capa permite conservar a cor, o lustro e exotismo.

    A paleta infinita de cores das pérolas de Taiti estende-se do cinza antracito avizinhando o negro profundo, ao cor de prata, ao carvão de madeira, a que se acrescentam uma grande variação de nuances de verde: pena de pavão, verde bronze e verde anis, verde esmeralda, verde floresta…

  • OURO 18 K

    Simultaneamente denso e tenro, o ouro possui uma cor amarela brilhante em estado natural.
    Utilizado em joalheria, é ligado a outros metais para reforçar sua rigidez. Dependendo do metal com que será associado, o ouro poderá adotar diversos tons. A proporção de ouro fino utilizado pela joalheria francesa é de 75%, e é designado pelo valor de 18 quilates. O ouro amarelo é constituído por 75% de ouro, aliado a 12,5% de prata e a 12,5% de cobre. Sublimado por pedras de tons quentes, o ouro reflete um espírito barroco intemporal. O ouro branco, também designado ouro cinza, é composto de 75% de ouro, associado a prata, a cobre e por vezes a paládio. Recoberto de uma camada fina de ródio, possui uma tonalidade branca, requintada, que se associa perfeitamente ao diamante. O ouro rosa se compõe de 75% de ouro, de 20% de cobre e de 5% de prata. Essa tonalidade, de uma suavidade excepcional, se associa tanto o ouro branco como ao ouro amarelo para sublimar todos os tipos de tez.

  • PLATINA 950/1000

    Possuindo uma cor branca prateada intensa, em seu estado natural, a platina é um metal precioso muito apreciado em devido a suas propriedades raras. Maleável, elástica, a platina é um dos metais mais densos e mais pesados. Demonstra uma excelente resistência à oxidação e à corrosão, o que o torna muito resistente ao tempo.

    A platina é usada em joalheria sob a forma de liga juntamente com o paládio na proporção de 5%. Ela se mantém pura a 950o/oo, o que lhe permite conservar seu lustro Natural e deslumbrante, valorizando perfeitamente o esplendor do diamante.

  • CERÂMICA

    A cerâmica high-tech*, material mítico utilizado pela CHANEL em Joalheria, testemunha de um know-how exigente. Composta de pó de dióxido de zircônio e de ítrio, a cerâmica high-tech* possui propriedades excepcionais.
    Altamente resistente aos riscos, inoxidável, inerte a todos os agentes químicos correntes, ela possui um brilho, obtido através de um método de polimento especificamente elaborado para os artigos de joalheria.

    *Alta tecnologia